Como se sair bem como palestrante

Este post é direcionado àqueles que estão iniciando como palestrantes e que ainda se sentem um pouco inseguros e ansiosos em ministrar palestras em eventos simples ou de grande porte.

ANTES DA PALESTRA

Conheça o conteúdo de sua palestra

É o primeiro item e o mais importante. É imprescindível que você saiba o conteúdo da sua apresentação. E aqui, cabe uma ressalva: é conhecer, entender e estar preparado para responder as perguntas sobre o assunto. Se a palestra for apresentada com outros colegas, peça para que enviem os seus slides e estude todo o material. Caso haja algum contratempo e um dos integrantes não compareça ou se atrase, você conseguirá dar sequência à apresentação.

Lista de verificação

Outro ponto de extrema importância é a lista de verificação, principalmente dos equipamentos eletrônicos. Certifique-se de salvar a sua apresentação em pen drive, no seu diretório ou até mesmo na nuvem, caso ocorra algum problema.

Coordene com a organização do evento, se possível, e teste a sua apresentação. Veja se os links que disponibilizou abrem sem problemas e se o vídeo que você incluiu funciona. Instrua a pessoa que lhe dará suporte técnico sobre como deve ser feita a troca de slides e como adicionar um link para um arquivo ou vídeo que você pretende mostrar. Esse procedimento evita que tenha que parar a sua apresentação por causa de um link que não funciona ou para auxiliar o técnico a localizar o arquivo.

Atue como intérprete

Saber o conteúdo é o item principal, mas saber se expressar verbal e fisicamente é
outro ponto-chave para uma apresentação de sucesso. Por isso, faça como os
atores: dias antes da apresentação, interprete a sua fala várias vezes. Fale em
voz alta como se uma plateia estivesse diante de você. Treine quantas vezes for necessário, até que se sinta confortável e confiante com o resultado.

Cronômetro à mão

Todas as vezes em que praticar, tenha em mãos um relógio, até mesmo o do computador, e cronometre o início e o término de sua apresentação. Esse procedimento é útil para saber se sobrará muito tempo quando acabar a exposição ou se não haverá tempo suficiente para falar sobre o que havia planejado.

 

DURANTE A PALESTRA

Velocidade, ritmo e tom da fala

Há palestrantes que possuem total conhecimento sobre o que explanarão, porém alguns falam muito depressa; outros, com morosidade. O palestrante que fala rapidamente pode atropelar as palavras prejudicando a nitidez na dicção e causando certo incômodo aos participantes. Por outro lado, o palestrante que fala muito devagar faz com que os participantes se sintam cansados. Se a sua apresentação for logo após o almoço, o efeito pode ser pior, as pessoas podem cochilar (sim, é possível) ou até mesmo sair da sala. Procure manter um equilíbrio.

Com relação ao ritmo, uma dica é fazer algumas pausas durante a apresentação. Praticando com antecedência, você consegue marcar os slides em que fará essas pausas. Aproveite esses momentos para beber água ou interagir com os participantes.

Com relação ao tom, falar baixo demais pode causar incompreensão, principalmente de
quem está sentado ao fundo da sala. Por sua vez, falar muito alto pode causar
incômodo aos que estão à frente. Se for possível, grave a sua fala, assim você
poderá avaliar todos os pontos de ajuste necessários. Caso isso não seja viável, peça a um amigo, um parente ou alguém próximo para fazer essa avaliação.

Foco

Alguns palestrantes costumam dar exemplos próprios durante a sua apresentação para
mostrar que o assunto exposto é verdadeiro e factível de ocorrer. Por isso, muitas vezes, eles se alongam em histórias sobre a sua vida, as suas conquistas, os problemas que já enfrentaram e outros detalhes que mesmo inerentes ao assunto podem prejudicar o tempo da palestra. Portanto, manter o foco é essencial. Se você treinar antes, reduzirá a chance de se alongar desnecessariamente.

Humor

Este é um item interessante e deve ser utilizado com cautela em todas as apresentações.
Ele também serve de “quebra-gelo” no início da palestra.

Mesmo em palestras técnicas, uma pitada de humor em momentos pré-definidos pode dar uma leveza ao tema, e serve também como uma pausa, mencionada anteriormente, para respiro e controle emocional ou interação direta com os participantes. O humor pode ser uma frase, um comentário, um exemplo ou até uma imagem incluída na apresentação. Por isso, mais uma vez, enfatizo a importância de treinar a sua palestra com antecedência
para ter certeza de que o humor está dentro do contexto e no tempo certo da apresentação.

Nervosismo

A primeira palestra pode causar nervosismo intenso ao palestrante. Isso é perfeitamente normal. Cito abaixo algumas dicas para tentar aliviar esse sintoma.

Antes:

a) se possível, visite o local com antecedência e se posicione onde ficará no dia da
apresentação. Visualize tudo ao seu redor, se ambientalize;

b) procure assistir à palestra anterior. Analise o comportamento dos
participantes, tente reconhecer colegas e amigos, veja se a plateia é receptiva, se as pessoas fazem perguntas, enfim, faça uma pequena avaliação de todo o ambiente;

c) minutos antes de ser chamado, faça exercícios de inspiração e expiração para se acalmar.

Durante:

a) tente localizar as pessoas que já conhece em pontos diferentes da sala e sempre que
falar lance um olhar direto para elas. Elas servirão como um ponto de apoio confiável e seguro;

b) tenha sempre um copo ou uma garrafinha de água por perto. Peça aos organizadores.
Beba pequenos goles antes de iniciar a sua apresentação e durante as pausas que programou. A água limpará a sua garganta e lhe dará um minuto para se acalmar novamente;

c)  procure interagir com os participantes. Faça algumas perguntas simples em alguns
trechos de sua palestra para estabelecer esse envolvimento. As pessoas gostam de participar. Tudo isso pode ser coordenado quando você elaborar os seus slides e treinar a sua apresentação em casa; e

d) sorria. Sim, sorria e passe uma imagem positiva, alegre e vibrante, criando um clima agradável. Evite o tom de superioridade, o estrelismo e até o distanciamento que pode gerar antipatia aos participantes. Mostre que você tem conhecimento do que está expondo e que está aberto a receber sugestões, questionamentos e até mesmo críticas, se houver.

Deu pane geral

Se for técnico, não se apavore. Lembre-se sempre de levar uma cópia impressa dos
slides para que você se lembre do roteiro completo e possa continuar a apresentação. Se tiver um notebook, deixe-o pronto com o operador. A minha dica é colocar todos os arquivos e vídeos dentro de uma pastinha na área de trabalho. No caso de pane no computador da sala, o operador poderá ligar o seu notebook e localizar os arquivos sem problemas.

Caso o problema seja o esquecimento do conteúdo, lembre-se sempre de ter um resumo com os principais tópicos impressos. Fica mais fácil para recordar a sequência.

 

APÓS A APRESENTAÇÃO

Seja simpático e receptivo às pessoas que o procurarão depois da sua palestra. Tenha em mãos cartões de visita com informações sobre e-mail, telefone, site, etc. Se alguém lhe fizer uma pergunta e você não souber responder, peça o cartão da pessoa ou um e-mail de contato e diga que lhe enviará a informação completa assim que possível.

 

AVALIAÇÃO FINAL

Ao chegar em casa, descanse, relaxe, assista a um filme ou faça algo de que goste. Tente
não pensar muito sobre a apresentação, embora seja quase impossível. No dia seguinte, avalie tudo com calma. Pense em todos os detalhes, desde o instante em que se dirigiu à frente da sala até o momento em que foi embora. Faça uma lista dos pontos positivos e dos que precisam ser ajustados. Analise cada um deles, como por exemplo:

a) aspectos emocionais –  sentiu nervosismo, suor, vermelhidão do rosto,
tremedeira, gagueira, falou muito depressa ou muito devagar, etc.;

b) aspectos profissionais – os links funcionaram, os anexos abriram, 
todos os slides foram apresentados, houve tempo para explanar o que havia planejado, faltou alguma coisa, lidou bem com algum problema que possa ter surgido, soube responder as perguntas feitas, etc.;

c) participantes – analise se estavam interessados, se fizeram perguntas, riram ou interagiram, se saíram da sala, se mostraram cansaço, irritação, etc.

Avalie tudo. Sinta-se orgulhoso com os pontos que foram positivos e dos quais gostou e
estude os que ainda precisam ser melhorados.

Espero que essas dicas o ajudem e sirvam de parâmetro para a sua primeira palestra. E
que você sinta cada vez mais confiança em si mesmo e tenha muito sucesso nas próximas apresentações que surgirão. Boa sorte!