Saiba lidar com o “Não”

Todos nós já recebemos um “não” na vida. Mas o que fazer quando isso acontece? Vem comigo e juntos refletiremos sobre o impacto que esse termo pode causar no nosso dia a dia profissional e de que maneira podemos lidar com ele.

Receber o "não"

Quem já não participou de um processo seletivo, foi bem em todas as etapas, porém ao contrário do esperado, recebeu a seguinte mensagem: “Agradecemos por sua participação, mas no momento optamos por outro candidato. Ficaremos com o seu currículo e, caso haja uma nova oportunidade, entraremos em contato”?

Essa frase soaria irônica, visto que parece ser um modelo padrão saído de fábrica e adotado pela maioria das empresas, mas ela pode gerar dois resultados adversos a quem está à procura de um trabalho, seja ele em qual área for. Abordaremos essas duas vertentes mais adiante.

Ninguém gosta de receber uma negativa, principalmente quando tem certeza de que vai conseguir aquela vaga preterida ou aquele projeto que gostaria de realizar. E algumas pessoas têm dificuldade em lidar com esse resultado. 

Ao buscar uma oportunidade e não obter o êxito desejado, elas se tornam cada vez mais depressivas, questionam as suas habilidades e a sua competência, fazem comparações com outros colegas, sentem-se fracassadas. É uma bola de neve e o resultado é um conflito íntimo devastador.

O que fazer para não cair nesse estágio?

Lute contra o "não"

Extravase. Grite, xingue, chore, jogue toda a raiva para fora. Esvazie a alma para que possa dar lugar a coisas novas e mais interessantes.

Divirta-se. Passado esse momento, antes de reiniciar a luta, faça algo de que goste. Por que não ler aquele livro que está na estante, mas que você sempre deixa para depois? Há quanto tempo não vai ao cinema, caminha pelo parque, vai à academia, brinca com os filhos e com os pets? Dê-se ao luxo de fazer algo do qual sinta prazer. Isso é importante para deixar você em sintonia com a positividade.

Autoanálise. Depois, com calma, refaça todo o processo pelo qual passou, mas de maneira objetiva. Tente evitar colocar os seus sentimentos e começar a se perguntar de novo: “Por que deu errado?” Avalie friamente o que pode ter acontecido. Analise o seu comportamento em todas as etapas (contato por telefone, por Skype, pessoalmente, etc.), o seu portfólio e as suas qualificações para o projeto. Quais os pontos que precisam de ajustes? Talvez haja a necessidade de realizar um curso de idioma, obter um nível avançado de conhecimento sobre um determinado software, melhorar o seu relacionamento e forma de agir com outras pessoas…

Replaneje-se. Avalie com calma e de forma criteriosa quais as opções mais viáveis profissional e financeiramente. Faça um planejamento de atuação.

Diversificação. Pense também em outras oportunidades, outros campos de atuação e busque saber o que seria necessário para ingressar nessas novas áreas.  Diversifique, abra o seu leque de opções.

Ajuda de terceiros. Se não se sentir seguro, busque ajuda por meio de uma consultoria ou mentoria. Ter um aconselhamento de profissionais mais experientes é um fator muito positivo. Você pode tirar várias dúvidas e agregar ideias para um replanejar.

 

O importante aqui é saber avaliar objetivamente o que ocorreu e não deixar a peteca cair. A empresa, a agência ou o cliente pode ter tido vários motivos por ter optado por outra pessoa: alguém que tenha sido indicado, com mais experiência, que tenha conhecimento técnico específico e até mesmo que tenha causado melhor empatia ao selecionador. Tudo isso pode ser levado em conta.  Mas, o que não se deve fazer é desistir.

Conquiste o "sim"

Agora é hora de arregaçar as mangas e fazer acontecer. Vamos remar juntos nesse barco!

Repaginação. Analise o seu currículo ou portfólio. Veja se estão atualizados, se o layout é impactante e se as informações estão concisas. Há muita orientação que você pode buscar com colegas ou até mesmo na internet. Clique neste link  do site “Pronoia Tradutória”, da tradutora e intérprete, Carolina Walliter. Lá você encontrará muitas dicas valiosas sobre o assunto, além de outros artigos interessantíssimos. Se você atua em várias vertentes, elabore currículos apropriados para cada área. Tenha sempre uma carta de apresentação, cujo teor pode ser alterado, dependendo do cliente e da proposta.

Marketing pessoal. Crie o seu perfil profissional e o inclua em sites de vagas, sites profissionais como o LinkedIn ou sites próprios da área em que esteja buscando trabalho. Crie a sua identidade. Mostre aos outros o que tem de melhor.

Prospecção. Busque na internet empresas, agências ou clientes para os quais tenha interesse em trabalhar e envie o seu currículo.

Atualização. Mantenha-se atualizado. Procure cursos. Há muitos cursos gratuitos na internet, você só precisa avaliar se são bons e adequados a você. Não pare no tempo.

Customização. Mostre o seu diferencial. Destaque-se.  Faça a seguinte pergunta: “Por que alguém iria contratar o meu serviço?” Porque você tem x, y e z de qualificações e pode oferecer os resultados z, y e x ao seu contratante.

Networking. O networking é a oportunidade de você se relacionar com colegas e até mesmo conseguir alguma oportunidade de trabalho. Mas você também tem que dar a sua contribuição. Lembre-se de que a via é de mão dupla. Faça networking onde estiver: virtual (internet, redes sociais, cursos online, etc.) e pessoalmente (escola, eventos, passeios e onde for possível). Neste último caso, tenha sempre um cartão de visitas em mãos. Nunca se sabe o que destino nos trará de bom, principalmente fora do nosso ninho.

Em suma, é correr atrás. Já foi o tempo em que era possível ficar sentado em casa analisando as inúmeras ofertas nos cadernos de emprego dos jornais, que por sinal eram bem gordinhos e repletos de opções variadas de trabalho.

Hoje, tudo mudou e você também. Encare aquele “não” como um empurrão para você seguir adiante. Às vezes, aquele trabalho que você tanto almeja não é o melhor para você. Às vezes, aquele “não” veio para lhe mostrar que está no caminho errado, que você deve trilhar outro que lhe trará melhores benefícios. Receber um “não” pode ser o que você precisava para se mexer, sair da zona de conforto, se aventurar e conquistar novos horizontes. Pense a respeito e busque o sucesso que você merece.